Doação de Sangue do Cordão Umbilical

Onde é possível doar

Atualmente a dádiva para o BPCCU ocorre nas seguintes maternidades (unidades de colheita):

  • Centro Hospitalar de São João
  • Hospital Pedro Hispano - Unidade Local de Saúde de Matosinhos
  • Maternidade Júlio Dinis - Centro Hospitalar do Porto
  • Hospital Prof. Doutor Fernando da Fonseca

A extensão de colheita de unidades de sangue do cordão umbilical a outras maternidades encontra-se prevista, e será oportunamente anunciada.

 

Seleção e avaliação das dadoras

A seleção e avaliação das dadoras é efetuada pelos profissionais de saúde das unidades de colheita, a quem o BPCCU facultou formação específica

Faz ainda parte desta avaliação, um questionário médico que visa despistar eventuais problemas genéticos ou doenças potencialmente transmissíveis aos recetores, e a realização das análises legalmente exigidas (na Lei n.º 12/2009 de 26 de março), designadamente: HIV-SIDA, Hepatite B e C, Sífilis, Citomegalovirus, HTLV.

O processo da dádiva inclui ainda o registo de dados pessoais, e o consentimento informado  que deverá ser assinado pela dadora e que deve ser entregue no momento do parto.

Para o efeito no dia do parto, será colhida uma amostra do sangue da mãe para a pesquisa dos marcadores víricos anteriormente referidos.

O Banco Público de Sangue de Cordão Umbilical compromete-se a informar de qualquer resultado inesperado encontrado nos estudos realizados.

 

Kit e material de colheita

Atendendo à necessidade de cumprir requisitos técnicos muito exigentes, nenhum kit de colheita é entregue às dadoras. Todo os materiais e consumíveis necessários à realização do procedimento encontram-se nas unidades de colheita sendo manipulado apenas pelos profissionais treinados para o efeito.

Este processo assegura a rastreabilidade e integridade de todos os elementos materiais envolvidos.

 

Procedimento de colheita

A colheita de sangue do cordão umbilical é um procedimento muito simples, sem qualquer consequência para a saúde do bebe ou da mãe.

 Após o nascimento os profissionais de saúde devidamente treinados recolherão o sangue acumulado na placenta através do cordão umbilical, sem que cause qualquer transtorno ou interferência com os procedimentos médicos habituais do parto.

 

Transporte da Unidade de Sangue do Cordão 

Após a colheita, as unidades são acondicionadas e transportadas em equipamentos validados para o efeito até ao no Laboratório do BPCCU.

O processo de transporte é devidamente monitorizado (duração e temperatura), de forma a assegurar que os requisitos de qualidade da unidade não são afetados durante o processo.

Todo o processo de transporte é realizado por profissionais treinados de acordo com procedimentos predefinidos e validados, garantindo assim segurança das unidades.

 

No Laboratório

Uma vez recebidas as unidades, são sujeitas a várias análises que determinam entre outros parâmetros:

                Volume e peso da unidade

                Número de células e capacidade de enxerto

                Contaminação microbiológica da unidade

As unidades que reúnem os critérios de aceitação definidos pelo BPCCU são então processadas de forma a reduzir o seu volume concentrando as células progenitoras hematopoiéticas, e posteriormente criopreservadas.

Às unidades criopreservadas são igualmente realizadas análises de tipagem HLA. Os resultados obtidos nestas análises são posteriormente introduzidos numa base de dados nacional que tem intercâmbio permanente com o registo internacional - CEDACE - o que permite a pesquisa da unidade requerida por um doente compatível que dela necessite, de forma semelhante ao que acontece nos registos de potenciais de dadores de medula óssea.