Porque não é viável a colheita autóloga?

Porque não é viável a colheita autóloga?

A probabilidade das células presentes nas unidades de SCU armazenadas virem a ser utilizadas pela mesma criança que realizou a doação é extremamente baixa. O motivo para esta reduzida probabilidade de utilização das células pelo próprio, é que praticamente todas as das indicações para transplante na infância devem-se a doenças de base genética ou congénita, que podem estar presentes nas células de sangue do cordão doadas, e uma vez diagnosticadas tornam as unidades inúteis para serem utilizadas pelo próprio ou por qualquer outra criança ou doente que necessite deste tipo de tratamento.

No que concerne o sangue armazenado em bancos privados para uso exclusivo do próprio, ou em alguns casos, de familiares diretos (irmãos), como referido anteriormente, não há possibilidade de utilizar o sangue próprio em muitas das doenças em que há indicação para transplante, como por exemplo, leucemias, porque o sangue armazenado pode transmitir a doença que, à nascença estava escondida, mas que se manifestou mais tarde e pode voltar a aparecer se, se utilizar o sangue do próprio doente no tratamento.

Também poderá consultar o parecer do IPST , e o Parent´s Guide to Cord Blood Banking - Documento elaborado pelo European Committee on Organ Transplantation (CD-P-TO),  European Directorate for the Quality of Medicines & HealthCare (EDQM) do Conselho da Europa (versão portuguesa brevemente disponível).