Reunião de trabalho sobre Doação e Transplantação de Órgãos

 

Reunião de Trabalho sobre Doação e Transplantação de Órgãos reúne toda a Rede Nacional de Coordenação de Colheita e Transplantação

 

Realizou-se no dia 13 de dezembro uma reunião de trabalho sobre doação e transplantação, que decorreu no Centro de Sangue e Transplantação de Lisboa, Área da Transplantação.

O objetivo desta reunião consistiu em apresentar os resultados da atividade de doação e transplantação relativos ao ano 2017, promovendo o diálogo interinstitucional e reforçando a cooperação entre os vários intervenientes no processo de doação e transplantação para o seu sucesso.

Também visou, esta reunião, promover o funcionamento do Registo Português de Transplantação e distribuir dispositivos móveis aos profissionais garantindo uma melhor acessibilidade ao processo de doação e transplantação através do Registo em qualquer fase do processo de doação e em qualquer localização.

A reunião contou com a presença de 35 Coordenadores Hospitalares de Doação, dos 5 Gabinetes Coordenadores de Colheita e Transplantação e de todas as Unidades de Transplantação, num total de 73 participantes.

Portugal tem-se posicionado nos primeiros lugares na doação de órgãos na Europa e no Mundo. Até ao final de novembro de 2017 registou-se um aumento do número de transplantes realizados na ordem dos 7%, comparativamente com o período homólogo de 2011 e um aumento de 16% do número de dadores falecidos nos períodos referidos. Este aumento no número de dadores reflete-se num aumento de 9% do número de órgãos colhidos, o que permitiu que, até novembro de 2017, 735 doentes fossem transplantados a partir de dador falecido.

Por outro lado, assistimos também ao aumento do número de dadores vivos (rim e fígado) e, consequentemente, do número de transplantes realizados com órgãos 

destes dadores, observa-se um aumento na ordem dos 72% face a novembro de 2011.

O êxito obtido por Portugal na área da doação e transplantação é o resultado da cooperação dos vários profissionais envolvidos nesta atividade.

O Registo Português de Transplantação (RPT) é também uma demonstração do envolvimento dos profissionais para o seu sucesso. O RPT é um projeto de âmbito nacional, cofinanciado pelo SAMA/QREN, que serve de suporte a atividades como gestão da lista de espera de candidatos, registo de consultas pré-transplante e follow-up, registo de possíveis dadores e a sua avaliação, registo da colheita e transplante.

Este registo foi desenvolvido durante os dois últimos anos e garante um sistema de informação único e integrado, de âmbito nacional, que permitirá um olhar sobre o futuro da atividade e permitirá a definição de políticas e estratégias nesta área.

O IPST tem vindo a realizar sessões de formação sobre este Registo aos profissionais, tendo dado 254 horas de formação a um total de 305 profissionais.

O envolvimento do IPST neste tipo de projetos demonstra o esforço, empenhamento e dedicação das várias entidades do Ministério da Saúde e do Serviço Nacional de Saúde na desmaterialização de todo o processo de doação e transplantação, em benefício dos seus utilizadores, profissionais e utentes.

 

AWGP apresenta consensos sobre aplicação do Patient Blood Management em Oncologia

 

O Patient Blood Management (PBM) consiste na utilização científica, segura e eficaz de técnicas médicas e cirúrgicas concebidas para prevenir a anemia e diminuir a hemorragia, visando a melhoria do estado global do doente. Uma prática recorrente em diversas áreas cirúrgicas e que começa agora a ser abordada no âmbito da Oncologia. Para contribuir para uma discussão baseada em evidência científica, o Anemia Working Group Portugal (AWGP) apresentou um documento de consenso sobre a aplicação desta técnica nos doentes oncológicos.

AWGP apresenta consensos sobre aplicação do Patient Blood Management em Oncologia

Acesso gratuito aos Parques de Estacionamento para Dadores de Sangue

De acordo com a legislação em vigor (alínea i do artigo 6.º da Lei n.º 37/2012, de 27 de agosto), os dadores de Sangue têm direito à acessibilidade gratuita ao estacionamento nos estabelecimentos do SNS, aquando da dádiva de sangue. Neste sentido, apesar do acesso de viaturas ter passado a ser controlado no Parque da Saúde, na Av. do Brasil, N. 53 em Lisboa, este não tem qualquer custo para os dadores, bastando para tal que a senha de estacionamento seja validada na receção de dadores.

Regulamento Reporte Informação relativa à área do Sangue

 

O presente regulamento estabelece os moldes a que deve obedecer a disponibilização da informação relativa à atividade dos serviços de sangue e medicina transfusional que as entidades hospitalares devem reportar ao Instituto Português do Sangue e da Transplantação, IP (IPST,IP) ao abrigo do disposto no Despacho nº 1649/2017, de 14 de fevereiro, publicado a 21 de fevereiro de 2017.

A informação a recolher e a reportar pelas entidades hospitalares ao IPST,IP ao abrigo do Despacho nº 1649/2017, de 14 de fevereiro, publicado a 21 de fevereiro, diz respeito à atividade dos serviços de sangue e medicina transfusional a nível nacional e engloba todas as entidades do setor público, privado e social.

Regulamento: Reporte de informação relativa à área do sangue | versão 1.1 de 27 de fevereiro de 2017

MRS IPST | Instituições Externas | Manual do Utilizador | versão 1.3 de 16 de março 2017

 

Atividade do Contact Centre (CC) do IPST,IP

Informamos que o Contact Centre (CC) do Instituto Português do Sangue e da Transplantação, tem efetuado contactos telefónicos a dadores que efetuaram a sua última dádiva há mais de um ano. Este contacto é feito sob a forma de convite e tem como principal objetivo relembar a data em que o dador fez a sua última dádiva, convidando-o a programar a próxima.

Para além dos resultados a longo prazo traduzidos numa fidelização do dador ao IPST,IP esperamos contribuir para o aumento das dádivas neste período, contrariando a tendência desta época do ano.

Este contacto não permite a devolução da chamada (21 352 41 32).

Loading...