Os potenciais dadores de sangue e componentes sanguíneos vacinados contra a COVID-19 com vacinas de vírus inativados ou vacinas que não contêm agentes vivos, podem ser aceites como dadores sete dias após a vacinação, caso se sintam bem e estejam assintomáticos.

Estão nesta situação as vacinas atualmente a ser administradas em Portugal, autorizadas pela Agência Europeia do Medicamento, COVID-19 Vaccine AstraZeneca/ VAXZEVRIA; COVID-19 Vaccine ComiRNAty (BioNTech - Pfizer; COVID-19 Vaccine MODERNA; COVID-19 Vaccine Janssen.

Suspendem-se por sete dias, após a resolução dos sintomas, os dadores que apresentem sintomatologia após administração de vacina contra SARS-CoV-2. Cumulativamente os potenciais dadores devem cumprir os mesmos critérios de elegibilidade que os dadores não vacinados.

Aplica-se assim o princípio da precaução.

Até ao momento não existem registos de complicações na dádiva ou na administração de substâncias de origem humana atribuíveis à vacinação COVID-19 do dador.

Manter-nos-emos atentos ao evoluir da evidência científica.

No próximo dia 14 de junho a OMS – Organização Mundial da Saúde e todos os países celebrarão o Dia Mundial do Dador de Sangue.

A necessidade de sangue seguro é universal. Este é essencial para tratamentos e intervenções urgentes; pode ajudar os doentes com patologias que ameaçam a sua vida a viver mais tempo, com mais qualidade de vida e apoia procedimentos médicos e cirúrgicos de grande complexidade. O sangue é também vital para o tratamento de feridos decorrentes de vários tipos de emergência (desastres naturais, acidentes, conflitos armados, etc.) e é ainda essencial para salvar vidas na prestação de cuidados neonatais e na maternidade.

Porém, o acesso a sangue seguro é ainda um privilégio de poucos. A maioria dos países não desenvolvidos ou em vias de desenvolvimento luta para que este esteja acessível, porque o número de dádivas é baixo e o equipamento para testar o sangue é escasso. Globalmente, 42 % do sangue é colhido nos países desenvolvidos, o que representa apenas 16% da população mundial.

O fornecimento adequado de sangue seguro apenas pode ser garantido através de dádivas regulares feitas por dadores voluntários e não remunerados. Esta é a razão pela qual a Assembleia da OMS, em 2005, designou um dia especial para agradecer aos dadores e encorajar mais pessoas a dar sangue altruisticamente. O Dia Mundial do Dador acontece anualmente a 14 de junho. Além de agradecer aos dadores de sangue, é o dia em que se pretende aumentar a consciência para a necessidade de sangue seguro e como todos podem contribuir para esta causa.

No domínio das estratégias de modernização preconizadas para o setor da saúde foram implementadas no IPST um conjunto de medidas de simplificação, designadas medidas SIMPLEX, com impacto positivo na vida dos nossos cidadãos, concretamente dos dadores e recetores de sangue, órgãos, tecidos e células mas também dos profissionais envolvidos neste setor, permitindo uma maior simplificação e desmaterialização dos respetivos processos a par de uma melhoria na interação dos cidadãos com o serviço público prestado pelo IPST.